BHAVA – O JARDIM DAS DELÍCIAS TERRENAS

CENOGRAFIA   BHAVA – O JARDIM DAS DELÍCIAS TERRENAS

 

Festa de inauguração | São Paulo, 02nov2019

A cenografia para a festa de inauguração da escola Bhava de meditação partiu da ideia de construção da casa de um samurai contemporâneo, uma vez que a casa em que se encontra ainda não foi totalmente adaptada às necessidades da escola. Assim, elementos simples da construção civil são empregados na decoração, incrementados pelo ouro que remete ao refinamento oriental: andaimes com chapas metálicas douradas, instalações em tela fachadeira, banquinhos em pinus como que de obra com pé metálico dourado, mesas em cavaletes e painéis de pinus, blocos cerâmicos dourados, lâmpadas tubos led com filtro âmbar, stencil em tinta dourada de padronagem tradicional japonesa em mureta do jardim. Um altar luminoso foi construído com tripé em tubos metálicos encimados por uma esfera em fibra de vidro.

ELETROGORDO 2019

CENOGRAFIA   ELETROGORDO 2019

 

4ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2019

Em sua quarta temporada, João Gordo ganha a companhia de Queiroz, um peixe laranja numa TV-aquário. Cenário, logomarca e vinhetas de abertura e de créditos do programa por Estúdio Risco.

FOLIA NA FÁBRICA

CENOGRAFIA   FOLIA NA FÁBRICA

 

Decoração de carnaval | Sesc Pompeia, São Paulo, 1-5mar2019

De dentro de um bloco de rua em São Paulo o olhar do folião alcança, para além das fantasias de seus pares, os vendedores ambulantes com seus isopores reforçados e guarda-sóis coloridos. São esses elementos de uma cultura popular contemporânea, que elegemos como mote para a decoração do Carnaval Sesc Pompeia 2019. É assim que duas peças tradicionais dos carnavais de rua, o pórtico e o bonecão, vestem-se de formas e cores ambulantes. As portadas principal e dos galpões da fábrica recebem os pórticos de caixas de isopor de diversos tamanhos, decoradas por fitas adesivas de cores vibrantes. Ladeiam os palcos da choperia e do deque, dois bonecões cibernéticos articulados, com adereços em fita percinta e mangueiras de led. Para completar a festa, os guarda-sóis da unidade recebem também suas fantasias: capas coloridas metalizadas. E os funcionários apresentam adereços confeccionados em fita percinta.

FRUTO 2019

CENOGRAFIA   SEMINÁRIO FRUTO: DIÁLOGOS DO ALIMENTO 2019

 

Organização: Alex Atala e Felipe Ribenboim, em parceria com o Instituto ATÁ | Unibes Cultural, São Paulo, 25-27jan2019

Para a segunda edição do seminário sobre alimentação e de acordo com a ideia da sustentabilidade discutida no evento, algumas dos dispositivos cenográficos da primeira edição foram reaproveitados. As principais novidades em 2019 foram: a mostra fotográfica ”Ameríndios do Brasil”, com trabalhos de Renato Soares, um redário, o painel do artista Derlon e a entrada do prédio por uma floresta de bolso, do pasagista Ricardo Cardim.

SESC PARQUE DOM PEDRO II

CENOGRAFIA   SESC PARQUE DOM PEDRO II

 

Pintura dos contêineres | Sesc Parque Dom Pedro II, São Paulo, jan2019

Tamanduateí, o rio de muitas voltas e tantos afluentes (Ipiranga, Mooca e Pedra Branca). Um leito límpido, navegável, às margens do qual encontram-se lavadeiras e pescadores. Avenida do Estado, trânsito caótico, um rio retificado, camuflado pelo concreto do canal, esgoto a céu aberto. Pouco mais de um século os separam. O resgate das águas de São Paulo é o mote para nossa intervenção no Sesc Dom Pedro II, às margens do Tamanduateí. Para tanto, os contêineres existentes receberam nova pintura que de forma poética contrapõe linhas retas e curvas, como se fosse um mapa comparativo do rio em seus diferentes tempos. O projeto de sinalização da unidade também foi elaborado, embora apenas parcialmente implementado.

ELETROGORDO 2018

CENOGRAFIA   ELETROGORDO 2018

 

3ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2018

A oficina de eletrodomésticos do João Gordo é um sucesso! Balcão reformado, quadro de ferramentas e produtos encartelados são as novidades do cenário. Cenário, logomarca e vinhetas de abertura e de créditos do programa por Estúdio Risco.

FRUTO 2018

CENOGRAFIA   SEMINÁRIO FRUTO: DIÁLOGOS DO ALIMENTO 2018

 

Organização: Alex Atala e Felipe Ribenboim, em parceria com o Instituto ATÁ | Unibes Cultural, São Paulo, 26-27jan2018

Evento internacional que acontece em São Paulo para a discussão da alimentação contemporânea (problemas, desafios e soluções). O projeto cenográfico considera equipamentos e móveis existentes disponíveis, com complementações, visando dar unidade ao conjunto de atividades e espaços (teatro, auditório/área VIP, lounge, sala de imprensa e pátio/refeitório) do evento. Contempla o leiaute dos referidos ambientes e a indicação de alguns dispositivos cenográficos auxiliares e suportes para a  sinalização. As florestas de bolso do paisagista Ricardo Cardim complementam o projeto.

 

ELETROGORDO 2017

CENOGRAFIA   ELETROGORDO 2017

 

2ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2017

Na segunda temporada de Eletrogordo, televisores e pôsteres com anúncios antigos de eletrodomésticos dão cor e dinamismo ao programa. Cenário, logomarca e vinhetas de abertura e de créditos do programa feitos pelo Estúdio Risco.

CENA ABSURDO

CENOGRAFIA   CENA ABSURDO

 

Performance poético-musical | Turnê desde nov2016

Cenário portátil para a experimentação músico-poético feita ao vivo nos lançamentos de CENA ABSURDO, de Pedro Marques, a partir do conceito de empilhamento de pedras desenvolvido para o desenho gráfico do livro e site do projeto. Composições e performance realizados pelos músicos Juliana Amaral, Gustavo Bonin e Micael Antunes.

ELETROGORDO 2016

CENOGRAFIA   ELETROGORDO 2016

 

1ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2016

Numa oficina de eletrodomésticos João Gordo entrevista personalidades da cultura pop brasileira enquanto promove reparos em  video-cassetes, espremedores de limão e vitrolas. Além do cenário, o Estúdio Risco desenvolveu a logomarca e as vinhetas de abertura e de créditos do programa.

AÇOITE

CENOGRAFIA   AÇOITE

 

Show de Juliana Amaral | Turnê 2016-9

Uma caixa preta, um tapete de lona de algodão na cor cáqui em que se dispõem músicos e balões cheios de gás hélio, presos a carretilhas de madeira. O cenário da turnê do disco Açoite é um quintal com luz recortada e sem cor, tensão entre o etéreo e o telúrico. A cena é montada no início do espetáculo, com a cantora trazendo da coxia, uma a uma, as carretilhas, dispostas em desenho geométrico de triângulos equiláteros. Ao final, as linhas dos balões são cortadas e eles ascendem, golpe consumado.

CORDAL

CENOGRAFIA   CORDAL

 

Show de Almir Côrtes e João Paulo Amaral | Turnê 2014-5

Gostamos sempre de pensar no todo e foi assim, que a partir de uma primeira consulta para a elaboração do desenho gráfico do disco Cordal, e mesmo com os parcos recursos existentes, surgiu a idéia de estender nosso trabalho à turnê do espetáculo, criando uma unidade visual para o trabalho de Almir Côrtes e João Paulo Amaral. A partir de desenhos de patentes antigas de componentes de instrumentos de corda, surgiu o telão que acompanha os músicos em seus shows. No mais um desenho de luz simples, com foco nos músicos e difusão na imagem ao fundo, que flutua.

O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2014

CENOGRAFIA   O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2014

 

7ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2014

O cenário para a sétima temporada do talk show capitaneado por José Mojica Marins foi inspirado nos cemitérios típicos dos filmes clássicos de terror dos anos 1930, com destaque para a lápide de Josefel Zanatas, nome de batismo do agente funerário Zé do Caixão.

 

COM FRESCURA

CENOGRAFIA   COM FRESCURA

 

Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2013

Num cenário kitsch e glamuroso, Rogéria recebe convidados para um bate-papo irreverente e ousado. O estúdio Risco produziu também as vinhetas de abertura e créditos do programa.

TONHÃO BORRACHA

CENOGRAFIA   TONHÃO BORRACHA

 

Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2013

Cenário para atração que antecede as sessão de filmes “Como Era Gostoso”, às quartas-feiras, com crônicas apimentadas dos clássicos da pornochanchada pelo borracheiro mais tarado do cinema brasileiro.

 

O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2013

CENOGRAFIA   O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2013

 

6ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2013

Nesta temporada, o mordomo-caveira empurra seu carrinho de chá, repleto de estranhos objetos. Fundo e piso vermelhos.

SM, XLS

CENOGRAFIA | SM, XLS

 

Show de Juliana Amaral | Turnê 2012-4

O cenário da turnê SM, XLS, disco de Juliana Amaral, está em função de dois atos: SM, samba mínimo e XLS, extra luxo super. No primeiro ato a cantora está acompanhada de violão e percussão e a cortina em algodão cru de fundo confunde-se com as figuras no palco, vestidas com a mesma cor. Interlúdio, cai a cortina e atrás dela revela-se o luxo de um painel em chapas metálicas, refugo de metalurgia. No chão, um tapete de linóleos usados para estampagem de latas e uma bobina de madeira da qual brota uma rosa vermelha. Assista o making off da montagem.

 

 

PRELIMINARES 2012

CENOGRAFIA   PRELIMINARES 2012

 

2ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2012

Em sua segunda temporada, o programa priorizou o papel de Madame Rogéria, que passou a ter dois quadros: dicas de alta cultura e resposta a cartas eróticas de espectadores, ambos ambientados num bordel. Outro cenário é o da borracharia de Tonhão, crítico de pornochanchada.

O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2012

CENOGRAFIA   O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2102

 

5ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2012

Para o cenário da quinta temporada do programa de entrevistas de Zé do Caixão optamos por uma estética pop de figuração branca sobre fundo vermelho: tumba central encimada por crânios e ladeada por castiçais.

INSTALAÇÃO: PÁGINAS AMARELAS

CENOGRAFIA   INSTALAÇÃO: PÁGINAS AMARELAS

 

Show de Tom Zé | Sesc Pompeia, São Paulo, 8-9dez2011; Sesc Santana, São Paulo, 27-29jan2012

Neste espetáculo, Tom Zé apropria-se musicalmente de uma série de símbolos urbanos numa operação lúdica de aproximação com o público, recuperando o sentido de cidade como lugar do encontro. Ao lado de sucessos de temática citadina, o artista apresenta novas composições que cantam os números da lista telefônica e placas de aviso. A proposta, originalmente pensada para o teatro sanduíche do Sesc Pompeia e posteriormente adaptada para o teatro italiano do Sesc Santana foi a de fazer uma chuva de telefones, complementada por uma grande faixa de tecido que reproduz os classificados de telefones úteis e pequenos displays de placas de elevadores e banheiros, elementos com os quais Tom Zé interage ao longo de canções correlatas. Para nossa surpresa, durante a passagem de som, descobrimos que o cenário também virou música: “foi no Sesc Pompéia, que nasceu a idéia, fazer telefone chover, pra falar com você”.

PRELIMINARES 2011

CENOGRAFIA   PRELIMINARES 2011

 

1ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2011

O programa, de humor ácido e apelo erótico apresenta três quadros: Madame Rogéria, Nero Fera e Tonhão Borracha, respectivamente ambientados num bordel, num quarto de motel e numa borracharia, com cenários maneiristas. Para o personagem Nero Fera, misto de malandro carioca e “pimp” americano, foram também desenvolvidos protótipos e imagens de uma linha de produtos temáticos (bomba peniana, livros, cd) que de modo fictício era comercializada no programa.

O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2011

CENOGRAFIA   O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2011

 

4ª temporada | Direção: André Barcinki | Canal Brasil, 2011

Na quarta edição do programa, foram mantidos sofá-caixão, piso marmorizado e gato empalhado da temporada anterior. Investimos num fundo expressionista de pernas pretas irregulares em contra-luz: branca para as entrevistas e vermelha para a Infernet, quadro em que Capetinha, assistente de palco de Zé do Caixão, dá voz a cartas de espectadores para a resposta do apresentador.

O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2010

CENOGRAFIA   O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO 2010

 

3ª temporada | Direção: André Barcinski | Canal Brasil, 2010

Desde sua terceira temporada, a cenografia do programa de entrevistas de Zé do Caixão está a cargo do Estúdio Risco. No talk show, José Mojica Marins tem um assistente de palco, o Capetinha. Em 2010, desenhamos um sofá-caixão para o apresentador, que repousa sobre um piso de mármore. A cena se completa com o balanço macabro do Capetinha e alguns objetos de cena, com destaque para um gato empalhado.

SPFW 27ª EDIÇÃO

CENOGRAFIA   SPFW 27ª EDIÇÃO

 

Em parceria com agência Triptyque | Bienal São Paulo, 17-23jun2009

O evento integrou o calendário oficial do Ano da França no Brasil e teve como tema a paixão. Como na edição anterior, o Estúdio Risco se associou à Triptyque no projeto de espaços dos organizadores da semana de moda: a Casa SPFW, sala de imprensa e loja Pop-up. No lounge oficial do evento, investimos numa forração vermelha de paredes e piso, no espelhamento das janelas e na instalação de um forro elástico entre os pilares do edifício da Bienal, inspirado num “corselet”. O mobiliário construído em madeira, com pintura carmim brilhante, incorporava luminárias. As paredes baixas receberam lambe-lambe com estampas “toile de jouy”. Na sala de imprensa optamos por uma solução simples e espetacular: um backlight gigante nas cores da bandeira francesa, inspirado nos padrões de tecidos como o “piel de poule”. As demais paredes e vidros também receberam tratamento em azul, branco e vermelho. Com o sucesso da edição anterior, a loja Pop-up cresceu e ganhou novos móveis, desenhados como embalagens de madeira para transporte.

SPFW 26ª EDIÇÃO

CENOGRAFIA   SPFW 26ª EDIÇÃO

 

Em parceria com agência Triptyque | Bienal São Paulo, 18-23jan2009

Em parceria com a agência Triptyque, o Estúdio Risco projetou três espaços na 26a. edição da São Paulo Fashion Week, que celebrou os brasileirismos, homenageando o centenário de Carmem Miranda: a Casa SPFW, a sala de imprensa e a loja Pop-up. Para a cenografia da casa, a partir da tradição luso-brasileira dos azulejos, criamos três padrões de estampas com a figura de Carmem Miranda, aplicadas em paredes, elementos construídos e piso. E o “metro quadrado de natureza”, móvel em pontaletes e tábuas de pinus para samambaias e grama, também utilizado defronte aos caixilhos da sala de imprensa, cuja parede principal foi revestida de vinil impresso com o dizer “Lembrança do SPFW”, numa reinterpretação da fitinha do Senhor do Bonfim. A loja Pop-up foi estruturada a partir do conceito de transitoriedade e portabilidade, com armários, bancadas, bancos, luminárias, pisos, provadores e totens confeccionados por fábrica de paletes e caixas de madeira para transporte.

VERÔNICA FERRIANI

CENOGRAFIA   VERÔNICA FERRIANI

 

Show | Teatro Pedro II, Ribeirão Preto, 29nov2008

O cenário do show de lançamento de Verônica Ferriani, primeiro disco da cantora, no Teatro Pedro II em Ribeirão Preto, foi inspirado nas ilustrações do encarte do cd, de autoria de Ana Brun. É composto de um telão de fundo em patchwork de tecidos de algodão e duas pernas em voal impresso, ao centro do palco, que descortinam-se ao longo do espetáculo criando efeitos de velatura. Uma revoada de esferas transparentes e iluminadas, em primeiro plano, completa a cena.

CIRCOMUNIDADE

CENOGRAFIA   CIRCOMUNIDADE

 

Espetáculo circense itinerante | São Paulo, 2008

Circomunidade é um projeto de difusão de artes circenses que reúne palhaços, acrobatas e trapezistas numa carreta móvel para espetáculo itinerante. A carreta, que se desdobra em trapézio, foi adereçada com elementos encontrados na rede elétrica aérea de nossas cidades: pipas, pássaros, tênis e luminárias.

GLAMURAMA-PODER

CENOGRAFIA   GLAMURAMA-PODER

 

Em parceria com agência Triptyque | Hípica Paulista do Brooklyn, São Paulo, 15-19out2008

Lounge para a Editora Glamurama, da jornalista Joyce Pascowitch, no Athina Onassis Horse Show, torneio internacional de hipismo. Além de receber convidados, o espaço abrigou uma mini-redação, que fez a cobertura do evento. A cenografia do ambiente, feita em parceria com a agência Triptyque, foi inspirada nos elementos de um estábulo. À maneira de feno, foram confeccionados fardos de revistas Poder, que empilhados faziam as vezes de divisória, apoios, base para mesa de trabalho e sofá. A cabeça de cavalo do Estúdio Risco e o banco-sela assinado por Fernando Akasaka complementavam a decoração temática.

L’OFFICIEL

CENOGRAFIA   L’OFFICIEL III

 

Promenade Chandon, São Paulo, 17ago2008

Delicadas hiperbólicas parabolóides construídas com elásticos vermelhos percorrem o espaço  interior do salão de beleza, decoração para o luxuoso evento da rua Oscar Freire.

SAMBA MÍNIMO

CENOGRAFIA   SAMBA MÍNIMO

 

Show de Juliana Amaral | turnê 2008-11

Uma rosa de talco iluminada no chão do palco anuncia o show de Juliana Amaral, que ao entrar em cena posiciona-se sobre ela, iniciando seu processo de decomposição: matéria pouca transubstanciada em memória ativa. A turnê do espetáculo foi registrada no livro Samba mínimo, extra luxo super.

DI FREITAS

CENOGRAFIA   DI FREITAS

 

Show | São Paulo, 29fev2008

O cenário é composto por cordas de sisal penduradas em alturas diversas, com laços que remetem a cabaças, matéria-prima dos instrumentos fabricados por Di Freitas.

CLOSET 667

CENOGRAFIA   CLOSET 667

 

Loja de acessórios | São Paulo, dez2007-jan2008

Uma cascata de origamis de lírios em cordões luminosos azuis para a vitrine natalina da loja de acessórios femininos.

JULIANA SAMBA

CENOGRAFIA   JULIANA SAMBA

 

Show de Juliana Amaral | turnê 2007-9

Concebido para a turnê do disco Juliana Samba, da artista Juliana Amaral, o espaço da cena é desenhado por praticáveis de alumínio em cinco alturas (variando de 20 a 100cm do palco); e um cubo de arestas metálicas e faces frontais em voal estampado com pétalas de rosa, imagem ampliada da capa do cd. O cubo luminoso, que inicialmente repousa sobre o patamar mais alto do palco, é erguido no início do espetáculo, sólido que flutua em contraponto aos planos praticáveis por que circula a cantora, ao centro.